Por que o incômodo?

Ao longo dos anos, com todas as voltas que o mundo dá, eu sempre sinto a necessidade de voltar aqui.

Escrever.

Colocar pra fora o tanto de pensamento que fica engasgado aqui dentro de mim. Eu não consigo pensar igual todos pensam, não consigo concordar. Sabe quando você está em uma rodinha de pessoas e o papo vai totalmente contra tudo que você acredita e todos seguem concordando? Pois é, isso tem acontecido tanto… e eu simplesmente me calo. Me calo por não querer ter que ensinar algo que deveria ser tão óbvio, tão natural. Por que as pessoas têm sempre a necessidade de apontar o dedo para as pessoas que são diferentes delas? A necessidade de querer cuidar do cabelo do outro, do jeito do outro, da sexualidade do outro. E por que o outro é o errado? Por que alguém tem que ser errado, afinal de contas? E pelo que percebo, essas pessoas são sempre julgadas como erradas simplesmente por existirem e cuidarem de suas vidas como acham que devem, sem fazer mal à ninguém.

Sabe, eu acredito que poucas pessoas saibam disso, mas na minha primeira faculdade, de Tradutor e Intérprete, fiz amizade com um cara super legal. Ele estava sempre radiante e com bons conselhos para dar e carinhosamente havia me apelidado de “lindosa”. Ambos deixamos a faculdade e mantínhamos contato apenas pelo facebook, afinal, a vida é sempre muito corrida para encontrarmos nossos amigos, né? Mas certo dia um post me chamou atenção, nele estavam dizendo que meu amigo estava desaparecido. Nos comentários eu procurava respostas, mas ninguém sabia o que realmente havia acontecido. Muitos dias se passaram, e recebemos a notícia: ele foi encontrado entre a vida e a morte em um hospital, pois havia sido espancado por um grupo de homofóbicos em um ponto de ônibus enquanto voltava pra casa. E então ele morreu. Simples assim. Por simplesmente ser.

Ok, mas o que essa história tem haver com tudo isso?

Hoje é um tal de querer falar “É menino ou menina?” “Nossa, mas que desperdício esse artista dançando com aquele outro que nem sei se é homem ou mulher!” GENTE – por que o incômodo? Eu não consigo entender onde está o desperdício. Não consigo entender o que vai mudar na vida de alguém saber a sexualidade de outra pessoa. Saber o motivo por alguém estar deixando o cabelo crescer. Tentar fazer piada com o jeito do outro. Não consigo entender.

Por que o incômodo?

Por que?

 

Anúncios

Playlist – Favs nacionais de Janeiro

Todos sabem que eu sou uma pessoa que gosta muito de músicas aleatórias, e que muitas vezes eu nem sei quem canta, vou descobrindo através de músicas que eu escuto em vários lugares, principalmente lojas legais, que sempre tocam as melhores músicas. Durante esse mês de Janeiro, eu ouvi muitas músicas com letras e/ou melodias que condizem com o que eu sinto, e são elas que vou compartilhar hoje.

1. A Banca 021 – Doce Ilusão

Essa música tem a letra e melodia muito viciantes, acho que nem preciso explicar muito o motivo de ter me tocado tanto… “Talvez a gente ainda se encontre nessa vida, quanto tempo falta? A vida parece me testar a todo tempo, e eu entendo. Mas o mundo conspira ao nosso favor, não importa se vai ou não me dar valor… a hora que tudo fizer sentido você já vai ter me perdido. Eu e você na nossa casa, doce ilusão, né?! E ainda diz que me ama, me parece que não, né? Solta minha mão, né? Vê se vai logo então, né? Pra ver se agora a gente aprende que por mais que a gente tente eu nunca fui como você, amor….”

Ah, e a versão acústica também vale a pena ser ouvida.

 

2. Class A (part. Buddy e NeoBeats) – Reunião de Negócios

“Ouvi tanta coisa que eu não queria, pra fazer aquilo que eu não devia, mas as mesmas circunstâncias que levaram a fazer isso são as mesmas que me impedem de dormir no fim do dia (…)”

 

3. Buddy – Viagem

“Me leva nessa viagem com você, bebê… me leva!” Letra muito significativa pra mim também.”

 

4. Class A – Por Nós

“Se tu acha que não é o que você merece, não esquece que nem sempre prevalece o justo!”

 

5. Luccas Carlos – Onde Você Tava

“Hoje é mais fácil né? Só que hoje é como eu quiser, já não me importo contigo. Não quero seu falso abrigo. Sei bem quem corre comigo e não me perco por você mulher… Eu tenho olhos pra te olhar, mas tenho mãos pra fazer o meu e eu me pergunto onde cê tava quando pra Deus eu rezava e não ouvia elogios seus!!!”

 

E é isso. Sei que meu gosto musical é um pouco diferente do gosto de vocês que sempre acessam aqui, mas não custa nada dar uma chance pras minhas músicas, vai. Espero que gostem e fiquem viciados nelas assim como eu estou.

Beijos,

Ju