Sobre a vida…

image1

É engraçado ver as voltas que a vida dá, né? Comecei a escrever esse texto e apaguei diversas vezes – é muito difícil falar sobre algo que nem mesmo eu entendi ainda. Posso dizer que essa viagem foi um grande divisor de águas na minha vida. Me arrisco a dizer que houve a vida pré-Nova York e agora estou vivendo a vida pós-Nova York. Cheguei naquele momento da vida em que normalmente somos obrigados a aprender a dançar conforme a música, e nos deixar levar pelo ritmo sem pensar muito bem no que estamos fazendo. Só fechar os olhos e ir. Não tenho direito de dizer que tudo que vivi foi em vão, pois cada momento vivido me trouxe onde estou hoje e me levou a ser quem sou.

Ainda estou absorvendo tudo que vivi em Nova York e como prometido, vou falar sobre tudo aqui. Foram tantas coisas incríveis, tanto aprendizado, que nunca saberia transmitir com palavras – mas prometo que vou tentar.

Recebi uma mensagem linda no meu último dia lá, de uma pessoa que me acolheu e me tratou tão bem como nunca imaginei que seria tratada, e é com essa mensagem que termino esse post.

“Sou feita de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou. Em cada encontro, em cada contato, vou ficando maior… Em cada retalho, uma vida, uma lição, um carinho, uma saudade… que me tornam mais pessoa, mais humana, mais completa. E penso que é assim mesmo que a vida se faz: de pedaços de outras gentes que vão se tornando parte da gente também. E a melhor parte é que nunca estaremos prontos, finalizados… haverá sempre um retalho novo para adicionar à alma.
Portanto, obrigada a cada um de vocês, que fazem parte da minha vida e que me permitem engrandecer minha história com os retalhos deixados em mim. Que eu também possa deixar pedacinhos de mim pelos caminhos e que eles possam ser parte das suas histórias.
E que assim, de retalho em retalho, possamos nos tornar, um dia, um imenso bordado de ‘nós'”.

Beijos,

Ju

Anúncios

Quando alguns minutos podem mudar seu futuro


Há poucos meses tive a oportunidade de passar um tempo no interior do nordeste, sendo assim, tive muito tempo para me conectar comigo mesma e pensar muito no rumo que a minha vida estava tomando. Eu estou naquela fase da vida em que está tudo absolutamente muito bem. Tenho um ótimo trabalho, um ótimo relacionamento com as pessoas que eu amo e estudo algo que gosto muito: publicidade.

Mas como nem tudo são flores, estava me sentindo muito acomodada ao ver os colegas de sala super animados em busca de estágios na área e eu nem cogitando sair do meu super emprego para ganhar quatro vezes menos. Mas, como estudante de publicidade da Anhembi Morumbi, sou obrigada a fazer 160 horas de estágio obrigatório – do contrário, eu não me formo.

Estive pensando em diversas maneiras de solucionar esse problema, pois apesar de amar meu emprego, eu realmente quero ter uma experiência profissional na minha área durante a faculdade. Então, a grande ideia surgiu enquanto estava tomando banho, assim como todas as grandes ideias que eu já tive na vida. Trabalho em uma multinacional muito reconhecida internacionalmente, e que tem sua sede – com todos os departamentos, na cidade dos sonhos: Nova York. Em um primeiro momento, pensei que eu estava sonhando alto demais, então demorei algumas semanas pra ter coragem de falar com alguém sobre isso: primeiro com os meus pais, depois com o meu namorado e, por fim, com a minha gerente. Foi engraçada a forma como falei com ela sobre isso, pois a todo momento eu falava que tinha sido apenas uma ideia despretensiosa, nada demais, apenas uma ideia. Pra minha surpresa, a reação dela foi extremamente positiva – disse que essa havia sido uma ótima ideia e que levaria isso ao nosso diretor.

Algumas semanas depois, recebi a resposta: “Os diretores de Marketing estarão prontos para te receber em Nova York, agora só depende de você.”

Congelei quando me dei conta do que eu estava prestes a conseguir. Então, no dia 29 de abril, toda a correria por passaporte, visto americano, passagens e hospedagem começou – e hoje foi o dia em que tudo se confirmou: fui aprovada e em agosto estarei realizando o sonho de viver durante um mês na Big Apple.

image1

Durante a entrevista no consulado americano, me dei conta de como aqueles minutos de entrevista poderiam mudar o meu futuro para sempre. A vida é mesmo uma grande aventura e agradeço todos os dias pelas oportunidades que ela tem me dado. Essa história não acaba aqui, muito pelo contrário – está apenas começando!

Beijos,

Ju

Vá Até o Fim

Fico imaginando onde e como eu estaria se eu nunca tivesse desistido de todos os meus projetos. É muito louco pensar que dois anos atrás eu estava comprando meu primeiro livro de espanhol, super empolgada pra aprender e essa empolgação durou pouco menos de dois meses, eu certamente estaria ao menos entendendo e falando um pouco o idioma. Mas desisti. Em pensar que um pouco mais de um ano atrás eu estava muito firme na academia, tomando suplementos e me alimentando bem. Eu poderia estar muito bem, muito saudável e em boa forma. Mas eu desisti. E aquele curso de fotografia que passei meses pesquisando, depois de ter comprado uma câmera bacana? Eu poderia ter começado. Poderia saber fazer alguma coisa muito bem. Mas desisti antes mesmo de tentar.

Talvez isso seja uma crise de idade, afinal, depois dos vinte começamos a questionar muitas coisas e, uma delas, é a forma como estamos passando nossos dias, como estamos vivendo. O tempo passa, e isso fica muito mais claro a cada dia que passa. Será que eu teria conseguido? Será que minha ideia era boa? Será que eu era capaz?

Pode parecer estranho dizer tudo isso, e mais estranho ainda é como tudo isso me veio a tona agora. A inspiração disso tudo foi esse comercial da Shell, cuja frase inicial é “Se você for tentar, vá até o fim. Se não, nem comece!” VÁ ATÉ O FIM. Isso pode significar ter que abrir mão de algumas coisas, mas você vai chegar lá e isso vai ser melhor que qualquer coisa que você possa imaginar.

Espero que eu consiga carregar esse pensamento pra sempre comigo, e que eu vá até o fim.